30 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 4 de novembro de 2013, 18:20

    O que adianta faixas de ônibus, sem ônibus?! Está quase impossível chegar ao centro sem as linhas que foram extintas. Poucos vão trocar o conforto do carro pelas poucas linhas de ônibus que sobraram na região, linhas que agora vivem superlotadas!

  • Anônimo 5 de novembro de 2013, 11:30

    Sinceramente, acho que deveríamos convidar o nosso prefeito a passar uma semana em nosso bairro para que ele tenha noção de que bloquear as duas principais vias de acesso ao centro é grande erro.
    A Vila Ema não tem estrutura nenhuma para suportar uma faixa exclusiva de ônibus.

    • Anônimo 5 de novembro de 2013, 14:42

      este prefeito so sabe que nosso bairro existe na epoca da eleição e aquela vereadora que sumiu a edir sale emporcalhava toda a ananhaia melo e agora que o bairro precisa dela sumiu

  • Anônimo 5 de novembro de 2013, 13:50

    Daqui a pouco ele poe faixa exclusiva na oratorio e na costa barros, e ai todo mundo que tem carro nao precisa mais sair de casa, e onibus que é bom menos ainda

  • Anônimo 5 de novembro de 2013, 13:56

    O já tão combalido comércio de rua da Orfanato, sofre mais um duro golpe com a retirada da zona azul! Está cada vez mais dificil a sobrevivência, penso que o horário da faixa exclusiva é muito longo e inútil, principalmente após às 10 horas da manhã!

    • Anônimo 9 de novembro de 2013, 12:49

      Sou totalmente a favor das faixas exclusivas de ônibus, inclusive em horário integral.

      O aumento no número de pedestres logo trará aumento nos lucros dos comércios que vendem comida, roupas, artigos esportivos, entre muitos outros produtos que não precisam de um carro particular para carregar.

      • Anônimo 11 de novembro de 2013, 10:28

        Vai a pé comprar a tv e leva no onibus lotado

  • Anônimo 5 de novembro de 2013, 15:50

    Ana Cristina estou com você! a Vila Ema não tem estrutura para suportar a quantidade de carros, alias as faixas de ônibus ficam vazias enquanto os carros se acumulam na única faixa que tem, e a cet deveria se preocupar com o a rua da Prece que fica próximo ao cruzamento da avenida vila ema com a salim maluf e ver que os carros ficam entrando e atrapalhando a ida sentido bairro e automaticamente deixando ruim tb o sentido centro…. Sr. Haddad só o que eu posso dizer essa sera a única vez que será eleito porque o povo não te suporta….#prefeitura uma lastima#

  • Anônimo 5 de novembro de 2013, 21:06

    PARABÉNS HADDAD!

    Continue assim! A nossa cidade ficou muito tempo abandonada! Obrigado por priorizar o transporte público e coletivo. Meu voto é seu!

    • Anônimo 6 de novembro de 2013, 14:47

      Casa com ele

  • Anônimo 6 de novembro de 2013, 12:26

    Me desculpa, mas acredito que o prefeito não sabe o que esta fazendo, ouvi a principio que a faixa exclusiva seria implantada em locais com pelo menos 3 vias. Acho que ele não avaliou o problema que já era grave na região e agravou com a faixa. Quem mora nas paralelas da Orfanato e Vila Ema não conseguem acessar a via principal, o transito piorou muito.
    Agora se eles querem nos privar de usar os carros, que disponibilizem mais ônibus e com o minimo de conforto…e além que abaixem o valor do IPVA para 1/6 do valor, já que só podemos usa-lo no sábado a tarde e domingo, quer dizer os impostos sobem todos, e onde esta o beneficio ao contribuinte?
    Fala-se em melhorar o poder aquisitivo da população, ai você a muito custo compra um carro, paga imposto, paga caro pelo combustível que alias o país produz, e ele tem que ficar na garagem???? E quem trabalha na rua com o carro…a prefeitura dará tratamento psicológico pra esse cara que não consegue atender seus clientes, chega atrasado, enfrenta um caos todos os dias?
    Pelo amor de Deus…alguém tem que parar esse prefeito!
    Alias segundo o Jornal Nacional…o aumento do IPTU foi reduzido nas regiões da cidade que ele foi mais votado e aumentado nas regiões em que ele teve menos votos…coincidência??

    • Anônimo 6 de novembro de 2013, 20:27

      Marília, concordo com o que você escreveu.
      Ninguém avaliou os problemas que as faixas causariam. O que ele quis foi apenas “cumprir uma das promessas da campanha” e aí está!
      Caos instaurado na cidade. Quem tem carro, cada dia sofre mais para sair. E agora? Não sei. Estamos a ponto de sermos parados na rua e nos prenderem por termos um veículo….

      • Anônimo 7 de novembro de 2013, 15:42

        Pois é propostas essas que não foram avaliadas do ponto de vista jurídicos (caso controlar) e técnicos (A faixa só funciona em rua com 3 vias, os ônibus continuam lotados, algumas linhas foram extintas sem explicação).
        Agora parece que nosso ministério publico percebeu isso, e pelo menos o aumento do IPTU foi vetado pois estava irregular, como a maioria das implantações dessa prefeitura.

    • Anônimo 9 de novembro de 2013, 12:53

      Marília, entendo sua indignação. Se eu tivesse sido iludido pela indústria automotiva também me sentiria traído nesse momento.

      A verdade é que a vida fora dessa prisão sobre rodas chamada carro é muito melhor! Experimente ir à pé para deslocamentos pequenos e reparar nos detalhes da cidade, nos pais brincando com os filhos, na vida acontecendo.

      • Anônimo 11 de novembro de 2013, 02:21

        Fabricio, se deslocar pela cidade com a violência em toda esquina, com as calçadas esburacadas, com os ônibus lotados? Ou devo pedir para que meus pais de 69 e 67 anos ‘andem’ pelas lindas calçadas da Anhaia Mello, da Avenida do Oratório, entre outras? Sinceramente a cidade só é boa de andar em bairros bem distantes daqui… A Vida acontecia muito melhor na minha rua quando a violência não acontecia.

      • Anônimo 11 de novembro de 2013, 02:26

        A culpa é nossa. Da população que reclama, mas não age. Da população que se esquece em quem votou, que não busca seus direitos. Uma Avenida como a Anhaia Mello, destruída pelas obras do monotrilho, com um trânsito caótico e esquecida por todos, agora tem faixa de ônibus?? Sinceramente é uma afronta a todos nós, mas o que fazemos contra isso? Nada. Escrevemos comentário indignados na reportagem do jornal, mas quando precisamos das mesmas pessoas que reclamam aqui para reivindicar, cadê? Nossa desorganização faz com que os políticos riam mais de nós a cada dia. Cadê nossa organização e manifestação contra o estado deplorável do asfalto na Anhaia Mello?? Se todo mundo que passa por lá de manhã se habilitasse, imagine que manifestação bonita!!

      • Anônimo 14 de janeiro de 2014, 18:20

        Que papo é esse? Em que mundo você vive? Pessoas precisam TRABALHAR, nem todos podem se dar ao luxo de ficar sem fazer nada da vida, existem pessoas que tem necessidade de se deslocar por vários pontos da cidade em apenas um único expediente de horário comercial. Como você pode ter a PETULÂNCIA de determinar as necessidades das pessoas?

        #HaddadNUNCAmais

        • Anônimo 21 de outubro de 2014, 11:12

          hADDADSEMPRE!

          cara, eu levava 1 hora para ir da altura do 7000 da anhaia melloo até o metro, só no viaduto são paulo era 40 minutos (ou mais), as vezes tinha que descer do coletivo no meio do viaduto para ir a pé; me atrasando, e tendo descontos elevados no meu salário.

          trabalhador mesmo vai de onibus, 70% usa o coletivo, é óbvio que deve ser priorizado; essas faixas poderioam ser feitas durante a gestão passada, mas serra e kassab foram dois inuteis na prefeitura.

    • Anônimo 13 de novembro de 2013, 14:46

      Concordo plenamente… muitos não pensaram que janeiro está chegando e com ele as cartinhas de cobrança do IPVA. Tenho carro por necessidade e não por luxo, pois das poucas vezes que tento pegar ônibus para ir até o metrô Vila Prudente (moro na Santa Clara) além de ficar muito empo esperando, muitas vezes não consigo entrar.

  • Anônimo 6 de novembro de 2013, 13:41

    São Paulo precisa de transporte publico e ciclovias. Os burgueses que´vão até a padaria de carro, que se adaptem. Governo deveria proibir a venda de carro parcelada, ou a venda de carro para que nao tem condicoes de pagar seguro do veiculo. Todos os veiculos com pendencias de multas, em caso de nao pagamento por 6 meses devem ser guinchados. Veiculos nao retirados dos patios de guincho em 15 dias devem ser destruidos.

    • Anônimo 8 de novembro de 2013, 19:01

      “BURGUESES ???”””
      O Kid B, qual sua idade?
      Paga impostos a quanto tempo? paga IPTU, IR , carne Leão, conta luz, água ou algo do tipo?
      Trabalha com o quê?
      Que direito tem você de chamar alguém que conseguiu com muito suor e trabalho, pagar em dia tudo que lhe é devido, e após muito tempo conquistar “justamente” um pouco de conforto relacionado a transporte individual.
      O que mais me surpreende não é o fato das melhorias, mas sim da degradação que tu fizeste ao seu semelhante por conta “talvez” de algumas frustrações.
      A cidade precisa de ciclovias? sim, precisa de motovias? sim, de transporte público? sim, precisa de faixas? sim, mas de ônibus também.
      Quanto a venda de carros, você deve estudar mais e ver que milhões de famílias brasileiras dependem de indústrias ligadas a auto peças. E para mudar isto leva-se muito tempo, não é com medidas autoritárias e sem planejamento.
      Cuidado com sua insinuação que o governo deve proibir, destruir, ou coisas do gênero. Estes são os primeiros passos de uma ditadura e acredito que não tem ideia do que seja viver sob um regime destes.

    • Anônimo 9 de novembro de 2013, 12:55

      Não sou tão radical quanto você, anônimo, mas concordo que o uso do carro faz mal para a cidade.

      Além dos problemas da poluição do ar, que mata muitos recém nascidos e idosos, temos o barulho, o estresse, diminuição de áreas verdes, as crianças não podem brincar na rua, etc

      Seria muito melhor se menos pessoas utilizassem automóvel particular.

      • Anônimo 11 de novembro de 2013, 10:32

        Quando o seu filho estiver passando mal, no horario de pico, pegue um onibus e leve ao hospital, o governo nao prega a igualdade, ele somente beneficia as regioes que votaram nele, vide o iptu que só houve aumento onde ele perdeu, é facil falar para nao ter um carro sendo que nao depende dele para viver

    • Anônimo 11 de novembro de 2013, 02:34

      Ter que ler isso é o fim! O ‘burguês’ do meu pai, com 69 anos, mais de 55 anos de trabalho, tem carro, parcelou, porque a aposentadoria é uma piada. Vai de carro na padaria porque as ruas são violentas, as calçadas esburacadas e o caminho não tem nada de bonito… A ‘padaria’ não é perto. Você deve viver no seu castelinho nada burguês, então aproveita que você não é burguês e dedique um tempo do seu sábado ou domingo visitando idosos abandonados nos asilos da cidade… Dedique a eles um pouco do seu tempo, já que ele está sobrando, aproveite e exija segurança, para que o valor absurdo que o burguês do meu pai tem que pagar de seguro sobre para que o velhinho possa passear.

  • Anônimo 6 de novembro de 2013, 14:35

    A rua do Orfanato já está insuportável, agora vai piorar!!!!

    • Anônimo 6 de novembro de 2013, 20:29

      Vai piorar…. e não temos mais por onde figur!!!! 🙁

  • Anônimo 7 de novembro de 2013, 13:43

    Concordo com o Kid B., São Paulo precisa de investimentos em transporte coletivo, porém, isso demanda tempo. Todas as gestões anteriores, independente da orientação partidária falharam neste ponto importante que se chama MOBILIDADE URBANA. Já comentei aqui: as faixas exclusivas são um “remendo”, porém, o interesse da maioria deve prevalecer. Trabalho na Vila Alpina e resido no Iguatemi, e posso assegurar: tenho chegado mais cedo em casa. Ah, eu tenho carro também.
    Temos que cobrar que as obras de MOBILIDADE URBANA (monotrilho da linha 15, corredor exclusivo da Anhaia Mello dentre outras) avancem com maior rapidez, porém, enquanto as obras não ficam prontas, apoio esse “remendo” chamado de faixa exclusiva de ônibus, claro que observado alguns impactos, dentre eles, o comércio da Rua Orfanato e adjacências.
    Vamos pensar a cidade como um todo!

  • Anônimo 9 de novembro de 2013, 00:54

    Concordo que melhorem o transporte público, mas temos tantos problemas que não será uma faixa exclusiva que vai resolver. Pois quem acha que devemos usar o transporte público ou bicicleta pode me responder. Moro próximo a Av Vila Ema, tenho dois filhos que estudam. Não tem nenhum colégio aqui perto, então tenho que levar eles de carro. Graças a faixa estamos acordando mais cedo para poder chegar no horário certo da aula. Ou será que vão criar mais linhas que atendam toda população?

  • Anônimo 12 de novembro de 2013, 14:31

    Hj teve passeata na rua do orfanato poderia ter todo dia até o problema se resolver de vez

  • Anônimo 27 de novembro de 2013, 09:16

    gostaria de saber qual é o orgão publico que cuida de ativar e desativar os pontos de onibus e como isso é feito,pois existia uma cobertura de ponto de onibus na Av. Vila Ema altura do número 3883 e o n.3881 sentido da vila Prudente que simplesmente foi retirado sem aviso a população um ponto muito usado pelos moradores e funcionários dos condominios local.queremos este ponto funcionando de novo.