Colunão

*Colunão publicado em 21 de janeiro

Folha 30 anos
Antes mesmo de a edição comemorativa ser lançada, diversas mensagens parabenizando as três décadas de jornal começaram a ser enviadas à redação. Agradecemos a gentileza de autoridades, leitores e anunciantes e a partir da semana que vem, destacaremos algumas dessas gentis palavras.
Em tempo: a pauta festiva prossegue nas próximas edições com artigos e notas especiais.

Mais Folha
Aos novos leitores cabe uma importante explicação: o jornal nasceu Folha de Vila Prudente, mas com o passar dos anos e com uma abrangência cada vez maior na região, expandiu os limites para bairros vizinhos e passou a adotar Folha.
A Empresa Jornalística Folha de Vila Prudente, que edita este hebdomadário, teve como fundadores: Alcides Pedro Barbosa, Antonio Augusto Parada, Archibaldo Fenício Zancra, David Rodrigues Barbosa, Domingos Sanches, Edson Rodrigues Barbosa, João da Costa Pinto, José Raimundo Souza Pereira, Leonel da Silva Guia, Luiz Berto de Faria, Maldi Maurutto, Newton Zadra, Romeu Rossi e Salvador Patané. Mais à frente entrou na sociedade Wanderley Mantovani, que presidiu a empresa de 1996 a 1999.

Alceste Filinto
Desde a fundação deste hebdomadário, e por mais de 28 anos consecutivos fui responsável por este Colunão. Neste espaço procuramos dar voz aos extratos populares da região, para fustigar os políticos demagogos e corruptos. Em certa ocasião essa postura me causou dois meses de prisão e 100 salários mínimos de multa, mas o político que moveu a ação foi extirpado do cenário. Carrego esta condenação com orgulho e faria tudo de novo se o tal político retornasse.

Alceste II
Aproveito a efeméride do 30º aniversário da Folha para lembrar que a veneranda e trêfega tia Léia (escreve-se e pronuncia-se Léia) desfilará na ala das baianas da Cabeções de Vila Prudente no Carnaval deste ano.

São Lucas 78 anos
Até o momento em que fechávamos essa edição na noite de ontem, acontecia a Missa Solene de Aniversário do São Lucas, na Paróquia São Filipe Neri, com a participação do coral Vozes do Oratório. Ao final da cerimônia estava prevista a inauguração do monumento dedicado a São Lucas Evangelista. Mais informações na próxima semana.

Linha 15-Prata
Desde a última segunda-feira, dia 17, a estação Jardim Colonial da Linha 15-Prata teve o horário de funcionamento ampliado das 9h às 16h. A nova parada foi inaugurada no final do ano passado e é a 11ª a entrar em operação no ramal de monotrilho que começa na Vila Prudente. Conforme a Folha antecipou na edição passada, o Metrô também confirmou a ordem para compra de 19 trens para a linha, que futuramente terá frota com 46 composições para atender as expansões em andamento. Os novos trens seguirão o padrão das demais unidades, com 86 metros de comprimento por 3,15 metros de largura.

Visita oficial
Na manhã da próxima terça-feira, dia 25, o presidente da Folha, Newton Zadra, recebe o prefeito de São Caetano, José Auricchio Junior, e o vereador de pelo município, Thiago Auricchio. Como o Zadra sempre destaca: “São Caetano faz parte da grande Vila Prudente”.

Aniversário de São Paulo
Na próxima terça-feira, dia 25, a cidade de São Paulo completa 468 anos. É mais um feriado que virou uma grande confusão na capital paulista por causa das antecipações ocorridas no ano passado durante a pandemia (que continua). De qualquer forma, como tradicionalmente faz nos feriados prolongados, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) anunciou na tarde de ontem que o rodízio para veículos de passeios estará suspenso na segunda e na terça, dias 24 e 25, respectivamente.

Homenagem
Por iniciativa da vereadora Edir Sales (PSD), o saudoso Valdemar Lopes Armesto, ícone para a Vila Prudente e para o Rotary Vila Alpina e que esteve à frente da São Vicente Contabilidade por décadas, vai ter seu nome eternizado numa praça, na esquina das ruas Dr. Roberto Feijó e José dos Reis. Homenagem mais do que merecida, dada a importância de Armesto para a região e para o trabalho em prol da comunidade vilaprudentina.

SAF Juventus 1
A ideia de transformar o departamento de futebol do Clube Atlético Juventus em Sociedade Anônima do Futebol (SAF), ou clube-empresa, deu uma esfriada nessa semana. A votação que aconteceria na última segunda-feira, dia 17, em reunião na sede social do clube, não aconteceu. Um grupo de conselheiros levantou inúmeras dúvidas relacionadas ao contrato de venda para uma empresa italiana, o que fez com que o presidente do Conselho Deliberativo, Ivan Antipov, adiasse a votação.

SAF Juventus 2
Foi criado um grupo de conselheiros que vai fazer a análise deste contrato para depois ser colocado novamente em votação. O problema é que a empresa italiana interessada na compra, a AlmaViva, não gostou do adiamento. Pessoas ligadas à empresa teriam dito que o prazo máximo para fechar o negócio seria até o dia 31 deste mês e que, caso não tivesse a aprovação do conselho até esta data, poderiam desistir.

Valores e condições
Fala-se em R$ 13 milhões a quantia que o clube receberia pela venda de 90% do departamento de futebol. Ficou acertado em contrato também o pagamento de R$ 30 mil mensal de aluguel pelo estádio Conde Rodolfo Crespi, na rua Javari, que a empresa pagaria ao clube, já que o estádio não será vendido. Além disso, o Juventus receberia 10% dos lucros apurados anualmente pela empresa. Alguns conselheiros acham esse valor irrisório perto da importância e do valor do Juventus como marca e tradição, outros já batem na tecla de que essa venda vai desafogar o clube social, que por muitas vezes sustenta o futebol. Essa novela ainda vai longe e vamos continuar acompanhando.

*Colaboração Renato Corona.