1 Comentário

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 15 de agosto de 2014, 23:36

    Pavimentação não é sinônimo de asfalto, em primeiro lugar. O que menos se precisa é de mais área impermeável nessa região de vertente direta para o Tamanduateí.

    Em segundo lugar, essa é uma rua sem saída no meio de uma linha de drenagem (que origina um pequeno córrego que corre para a várzea), cercada por mato alto e de difícil acesso. Mesmo morando a um quarteirão daí, eu nunca me atrevi a entrar.
    A descontinuidade do tecido urbano, a falta de movimento e o mato fechado fazem com que essa rua seja extremamente perigosa, já ouvi relatos de estupros e despejo de cadáveres aí – além de não ser raro presenciar helicópteros da polícia sobre o local.

    Sem sombra de dúvida, a pavimentação não é o maior dos problemas. Há de se preocupar com a segurança e a inserção urbana em primeiro lugar, juntamente com a questão da drenagem. E – por fim, pensar em alternativas permeáveis para a pavimentação, que não escorram toda a água da chuva imediatamente para o Tamanduateí.