2 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 25 de abril de 2014, 23:04

    Olá pessoal! Fico grata que publicaram mais uma vez a questão de segurança do bairro. Há poucos dias vi também agentes da CET na rua Pinheiro Guimaraes… vamos aguardar as melhorias, que não demorem uma eternidade! bom final de semana.

  • Anônimo 28 de abril de 2014, 20:23

    E quem seriam esses “pedestres preocupados” de Vila Zelina? Basta caminhar pelas ruas do bairro para ver que não é só a “sinalizaçãao falha” que impera e que isso traz prejuízos aos tais “pedestres”. Eu não canso de falar e de expor a hipocrisia geral: sinalização como a que tem na Avenida Zelina 749, esquina onde tem uma farmácia, ali é proibido estacionar, tem placa e tudo o mais, além de um hidrante. Os pedestres preocupados com certeza não viram que todos os dias a toda hora os motoristas estacionam ali; na av Zelina altura do 570, numa ilha que até já foi matéria da Folha, eu já cansei de solicitar fiscalização no 1188, já incluí o local no site da CET para fiscalização e nada adiantou: ali é estacionamento e ponto final! Dane-se o pedestre! E o que mais incomoda: às vistas de TODOS e em lugar movimentado onde passa polícia! Ninguém nunca quis que ali se fizesse algo!
    Também gostaria de saber se esses pedestres preocupados não constumam se deparar com carros estacionados na calçada nas vias do bairro. Tipo Rua Rio do Peixe entre Santa Adeodata e Heras ( como eu canso de apontar ), ou Avenida Zelina altura do 1300, onde funciona um restaurante. Ou, para usar como exemplo a mensagem da leitora acima, que fala sobre a Rua Pinheiro Guimarães: esta via é a maior calçada-estacionamento do Brasil, ja fiz CENTENAS DE SOLICITAÇOES DE FISCALIZAÇÃO AO LONGO DOS ÚLTIMOS 4 ANOS e nunca obtive resultado! Simplesmente parece que a Vila Zelina tem uma salvo conduto, uma espécie de carta-branca ou coisa parecida, e a CET está impossibilitada de entrar no bairro para cumprir sua obrigação. Então, não venham com essa de “pedestres preocupados”. Aliás, e quanto às criminosas calçadas do bairro, o pedestre não tropeça nelas não?