3 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 20 de setembro de 2013, 18:04

    É muito bom a Folha abordar este assunto nasci, moro e trabalho na Vila Ema, e não damos conta de limpar os muros da empresa em que trabalho. Acabamos de pinta-los e no primeiro final de semana já foram pichados. A empresa em que trabalho contribui com duas instituições de caridade há mais de 20 anos e tornou isso público com placas colocadas na fachadas com os dizeres “Srs pichadores com o dinheiro economizado nas manutenção desta fachada / muros serão convertidos a instituições de caridades” isso afim de tentar comover os pichadores mas nem assim resolveu. Travamos uma luta diária contra os pichadores tão dura mais tão dura que no dia em que estavamos pintando o muro passou um motoboy e gritou ” vamos pixar tudo de novo” e foi embora. Mas não vamos desistir, creio que se formos isistentes chega uma hora que os pixadores cansarão.

  • Anônimo 21 de setembro de 2013, 17:44

    Boa a reportagem, mas infelizmente vcs estão fazendo o que todos os pichadores querem…
    O objetivo da pichação é o “ibope” (fama) de cada pichador ..
    E infelizmente é o que esta reportagem está fazendo…

  • Anônimo 23 de setembro de 2013, 21:02

    Em minha residencia o pixador (um deles) é quase meu vizinho , sei quem é , onde mora e não posso fazer nada . Inclusive como ele sabe da impunidade ele assina o sobrenome abreviado – Bacana não ???