5 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 15 de julho de 2011, 16:49

    JA FOI PROVADO QUE A ZONA LESTE E CARENTE DE AREA VERDE E AGORA VEM ESSE INFELIZ QUERER COMPRAR ESSA AREA QUE PERTENCE AO POVO DA MOOCA EM GERAL, QUE E ISSO TEMOS QUE IMPEDIR QUE ALI SURJA MAIS UM EMPREENDIMENTO IMOBILIARIO, CHEGA DE CONCRETO QUEREMOS RESPIRAR MELHOR E SER FELIZ E CUIDAR DO POUCO QUE TEMOS NO BAIRRO DA MOOCA, UM VEREADOR JA ESTA DANDO ATENÇAO PRECISAMOS DE MAIS GENTE .

  • Anônimo 15 de julho de 2011, 20:50

    A Moóca não tem verde? Que tal esta carta de uma leitora da Veja São Paulo, publicada mês passado na edição 221 da revista:
    “Quando prefeito de São Paulo, Paulo Maluf elaborou um projeto de plantar 1 milhão de árvores. Nascida na Mooca, abracei a ideia. Para minha surpresa, comerciantes do bairro não se interessaram e, quando os “plantadores” iam falar com as donas de casa da região, elas corriam atrás deles com vassoura porque não queriam sujeira na porta de casa. Desgostosa, mudei para os Jardins e a Mooca ficou como ficou, sem verde.
    MARIA CRISTINA RUSSO”
    http://vejasp.abril.com.br/revista/edicao-2221/cartas-sobre-edicao-2220

    Ou seja, não tem vítimas na história.

    • Anônimo 29 de outubro de 2011, 23:10

      a milhares de vitimas na história e os moradores estão se unindo para converter esta situação.

  • Anônimo 27 de outubro de 2011, 20:06

    Humberto, não tome uma parte pelo todo. Se vc tiver algum bom senso (o que me parece não ter), repensaria (se é capaz de tal atividade). “Mudei para os Jardins” é se achar parte de uma elite inútil e gabosa de sua inutilidade. Se tiver de declarar algo, faça-o com palavras justas, não com vaidade e metido a novo-rico.

  • Anônimo 29 de outubro de 2011, 23:09

    Já existe uma mobilização dos moradores, idosos e crianças estão ficando sem seu lazer e bem estar, além do pouco ar de qualidade que existe em São Paulo, a milhares de vitimas na história, que absurdo.