Monotrilho avança para o extremo leste da Capital

O governador João Doria (PSDB) e o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, anunciaram na segunda-feira, dia 27, o início das obras de construção da estação Jardim Colonial da Linha 15- Prata. O prefeito Bruno Covas (PSDB) também esteve no local da futura estação. Será a 11ª do monotrilho iniciado na Vila Prudente.

“A Somague Engenharia começa a obra, com prazo de até dois anos para a entrega. Estamos evoluindo de forma acelerada para a implantação das novas estações da Linha 15-Prata. Com a conclusão desta estação, estaremos com 410 mil pessoas sendo atendidas regularmente”, disse Doria.

A empresa contratada está iniciando os trabalhos com a limpeza das áreas, manejo arbóreo, montagem do canteiro de obras e realização de terraplenagem. A estação será construída no canteiro central da avenida Ragueb Chohfi, no entroncamento com o final da avenida Aricanduva. Seguindo o padrão arquitetônico das demais paradas da Linha 15, a Jardim Colonial ficará elevada a cerca de 20 metros do nível da rua, interferindo o mínimo possível no viário.

De acordo com o Metrô, com a implantação da estação Jardim Colonial, que ficará na região do Iguatemi, a Linha 15-Prata terá seu trecho prioritário concluído, chegando a 14,6 km de extensão. O investimento total, segundo divulgado pela Companhia, é de R$ 5,3 bilhões na construção de todo este trecho da Linha 15-Prata, compreendendo 15,3 km de vias, sendo os 14,6 km operacionais e mais 0,7 km de acesso ao pátio Oratório de manutenção, além da instalação de sistemas e compra de trens. (Kátia Leite)

Vila Prudente: INSS encerra atendimento nessa semana


Questionado novamente pela Folha, o Instituto Nacional de Serviço Social (INSS) informou que está marcado para a próxima sexta-feira, dia 31, o último dia de funcionamento da agência Vila Prudente, no número 253 rua do Orfanato (foto). O motivo alegado para o encerramento das atividades da unidade é o fim do contrato de aluguel do imóvel e as condições inadequadas do prédio.

Segundo o INSS, os atendimentos não serão prejudicados, pois existem outras agências em um raio de quatro quilômetros de distância da Vila Prudente. Das unidades listadas como opção, a mais próxima é a da rua dos Trilhos, 1823, na Mooca, enquanto as demais ficam no Brás, Centro e Glicério.

O serviço de perícia médica, um dos mais procurados, foi transferido da unidade há mais de um mês. Continuam disponíveis nesta apenas os administrativos, como protocolo de aposentadorias, pensões, desbloqueio de benefício, cadastro de procuração, entre outros.

A mudança teve protestos da vereadora Edir Sales (PSD) e da 103ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), com sede na Vila Prudente, que encaminharam ofícios à presidência do INSS, em Brasília, demonstrando a importância da agência Vila Prudente para a região e os problemas que podem ocorrer com a sua extinção.

Após insistir na questão, nesta semana a vereadora Edir Sales (PSD) recebeu ofício do superintendente da região sudeste do INSS, José Carlos Oliveira, o qual afirma que a medida já havia sido amplamente estudada e é definitiva. No documento, ele justifica que o prédio onde está a agência Vila Prudente é inadequado para o atendimento da população, não possuindo acessibilidade e Auto de Verificação do Corpo de Bombeiros, além de ser um imóvel locado. Ressalta ainda que a maioria dos serviços efetuados na agência está disponível nos canais eletrônicos do INSS e na central telefônica 135.

Outra questão que faz parte da análise técnica na decisão do fechamento da unidade é a mobilidade e acessibilidade. Consta no ofício do superintendente que a agência Vila Prudente fica em uma distância de quatro quilômetros da unidade Mooca, sendo que três quilômetros do trajeto pode ser realizado pela avenida Paes de Barros, via recebe diversas linhas de transporte público. Ele acrescenta que a agência Mooca está em melhores condições estruturais e, por ser de propriedade do Instituto, existe a possibilidade de investimentos futuros em uma possível reforma do prédio para melhor acomodação dos usuários. (Gerson Rodrigues)

Camerata no teatro municipal da Mooca


Sempre aos primeiros domingos de cada mês, o Teatro Municipal Arthur Azevedo recebe a Camerata Quattro Stagioni que conta com 32 músicos com experiência em concerto e grupos de câmera. As apresentações acontecem às 11h e têm duração de uma hora

A Camerata foi fundada em 2018 pelo músico João Carlos, que é o maestro titular e diretor artístico do grupo. Durante os concertos, os músicos interagem diretamente com o público, estimulando e aguçando a curiosidade pelos instrumentos que são utilizados durante as apresentações. No repertório, alterado a cada mês, estão grandes clássicos da música mundial.

A atração acontece na sala multiuso com capacidade para 50 pessoas. Os ingressos custam R$ 40 e R$ 20 (meia entrada). A classificação etária é livre.

Teatro Arthur Azevedo: avenida Paes de Barros, 955, Mooca – telefone: 2605-8007.

Vacinação contra a gripe continua até sexta-feira

 


Quem faz parte dos grupos prioritários e ainda não se vacinou contra a gripe tem mais esta semana para ir a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) para se proteger. A campanha, que começou em 10 de abril, está prevista para acabar nesta sexta-feira, dia 31. Por enquanto, houve pouco mais de 60% de adesão. A meta da Secretaria Municipal da Saúde é chegar a 90% de cobertura.

Entre os grupos prioritários, apenas a população indígena já superou o percentual desejado. Os demais continuam abaixo do esperado: puérperas (78,1%), pessoas com 60 anos de idade ou mais (68,9%), professores (62,4%), crianças de seis meses a menores de 6 anos de idade (59,7%), gestantes (53,9%), pessoas pacientes de doenças crônicas não transmissíveis ou portadoras de condições clínicas especiais (50,5%) e profissionais da saúde (49%).

A definição do público-alvo, que recebe a dose gratuitamente, é feita pelo Ministério da Saúde e tem como base os grupos que possuem maior probabilidade de desenvolver quadros mais graves da doença após infecção pelo vírus influenza. A vacina disponível na campanha atual é trivalente e protege contra três subtipos do vírus gripe (H1N1, H3N2 e Influenza B).

“A dose protege contra a gripe pelo período de um ano, por isso, quem se vacinou ano passado deve tomar a vacina novamente nesta campanha. Nosso objetivo é ampliar a cobertura antes da chegada do inverno, quando a circulação do vírus é mais intensa”, detalhou a coordenadora do Programa Municipal de Imunizações, Maria Lígia Nerger.

Para ser vacinado, basta apresentar documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação e cartão SUS. Os profissionais de saúde e educação precisam apresentar holerite ou crachá. Portadores de doenças crônicas e outras comorbidades devem levar a receita da medicação que faz uso com data dos últimos seis meses ou prescrição médica.

Para pessoas que já tiveram alergia grave em doses anteriores ou a algum componente da vacina, recomenda-se realizar avaliação médica criteriosa sobre risco-benefício da vacina antes da administração de uma nova dose. Pessoas com febre alta devem adiar a vacinação até a resolução do quadro.

 

Baixas temperaturas: como ajudar moradores de rua


A Prefeitura de São Paulo já instituiu o chamado Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas.  A ação dos agentes municipais é reforçada sempre que a temperatura atingir ou for inferior a 13º C ou ainda se a sensação térmica for equivalente. O objetivo do plano é zelar pela vida de moradores de rua, promovendo o acolhimento de crianças, adolescentes, adultos e idosos durante os meses mais frios do ano.

A população também pode auxiliar as pessoas nessa situação solicitando abordagem social pela Central 156, que funciona 24 horas. O pedido pode ser anônimo, mas é importante ter as seguintes informações para facilitar a identificação: o endereço da via em que a pessoa em situação de rua está (o número pode ser aproximado); citar pontos de referência; características físicas e detalhes de como a pessoa a ser abordada está vestida.

A ação da Prefeitura está prevista para se estender até 20 de setembro e envolve as secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Cidadania, Saúde e Segurança Urbana. Atualmente, a Secretaria de Assistência Social tem 148 serviços para população de rua e aproximadamente 22 mil vagas, sendo 18.411 de acolhimento. A rede também conta com 2.335 vagas para crianças e adolescentes.

Nos Centros de Acolhida, o atendido encontra camas, cobertores e travesseiros, também são oferecidos banho, jantar, café da manhã e atendimento social para encaminhado para outras políticas públicas de acordo com a sua necessidade.

É importante lembrar que para obter vaga em Centros de Acolhida basta aceitar a oferta dos funcionários da Prefeitura. Será preenchida apenas uma ficha com identificação dos dados básicos. A pessoa também pode procurar diretamente as unidades.