6 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 6 de novembro de 2015, 16:01

    Olha o planejamento larga o monotrilho e começa outra obra para ficar parada na metade , o dinheiro e nosso não deles então tanto faz

  • Anônimo 6 de novembro de 2015, 22:56

    O financiamento é do banco mundial, vamos pagar o juros absurdo estamos pagando e daqui a 100 anos estará pronto e depois vamos entregar a alguma concessionária.

    Mas fica tranquilo que surgirá algum impedimento técnico que vai deixar a obra mais cara por incompetência do geógrafo e engenheiro.

    Ou vai morrer alguém e vão paralisar a obra igual a linha amarela * que só voltou depois de anos e não está completa ainda ou linha laranja monotrilho.

    Traz algum engenheiro chinês ou japonês pelo amor de Deus, lá eles sabem fazer trilhos na China tem 20 anos e tem 2 mil km a malha de trilhos aqui não passa de 70km.

  • Anônimo 8 de novembro de 2015, 02:56

    Tomará que está fase da obra de expansão da linha 2 verde, fique logo pronta.

    Só acho que o nome da estação não é adequado, pois aí não é e nunca foi Água Rasa, mas Vila Santa Clara, subdistrito de Vila Prudente.

    Então o nome correto, deveria ser estação Santa Clara.

  • Anônimo 10 de novembro de 2015, 10:57

    Continuando o comentário do Sr. Paulo Santos, o nome escolhido pelo Metro para a futura estação no bairro da Santa Clara não está incorreto por ser Água Rasa, porque perante a divisão administrativa da PMSP, o local dessa futura estação está dentro o distrito da Água Rasa, que por ora não tem subprefeitura é “mal” administrado pela subprefeitura do distrito da Mooca.

    • Anônimo 11 de novembro de 2015, 19:01

      Mas convenhamos, sr. Marcelo. Essa divisão que a prefeitura fez da cidade em 96 distritos, foi mal planejada.
      Veja bem, foi um trabalho feito somente por 6 pessoas, elas é que determinaram as divisas e limites entre os bairros. a prefeitura sancionou a nova divisão administrativa da cidade, em 1992, na gestão Erundina.

      Até então, a prefeitura adotava a mesma divisão usada pelo Governo do Estado, que divide a cidade em subdistritos, e alguns distritos, sendo todos sedes de registro civil das pessoas naturais.

      A divisão estadual, é antiquíssima, e sem dúvidas a mais correta, pois respeita a história geográfica dos bairros, o que não ocorre na atual divisão municipal. Tanto é, que existem projetos parados na Câmara Municipal, que visam modificar a lei municipal, de 1992.

  • Anônimo 13 de novembro de 2015, 19:16

    Não vejo a hora do metro fica pronto, porque as casa desapropriadas e ainda não demolidas estão sem nenhuma segurança, já roubaram até os portões de alumínio provavelmente para venda, anda pela rua que nem portão tem. Não sinto segura em anda por essas ruas.