3 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 17 de maio de 2013, 15:13

    Mais uma vez deparo com a intolerãncia e o egoísmo do ser humano, explorado e catalisado por mídias regionais, fruto de um receio pessoal de alguns escribas ante a opinião pública minoritária de um grupo divergente de famílias de ascendência báltica. Infelizmente quem perderá com tudo isso será toda uma comunidade, pois entendi que parte desse projeto seria também para coibir uma verticalização desenfreada da região. Resta a pergunta no ar : “Será que Tematizar Leste Europeu não pode, mas, Lituano pode ?! ” Concordo 100 % com o manifesto publicado por esta associação sob o slogan “A Vila Zelina é de Todos Nós” . É, parece que a comunidade e o bairro realmente tem um dono……

  • Anônimo 20 de maio de 2013, 05:17

    Prezado sr. Luis, protestar assim é muito cômodo, por quê o senhor não participou das reuniões feitas sobre o assunto e expôs a sua opinião perante todos? Não houve intolerância nem tão pouco egoísmo, tudo foi realizado de maneira clara e democrática. É óbvio que a Vila Zelina é de todos, assim como ela é também, de fato e de direito, o bairro dos lituanos da cidade de São Paulo. Chega de ranços e rancores, entenda, por favor, que o mais sagrado aconteceu: a justiça triunfou.

  • Anônimo 20 de maio de 2013, 14:50

    Parece que escribas de algumas mídias por suas ânsias de posse da opinião regional e por vaidades pessoais deram ganho de causa parcial e por pressão de uma minoria, porém , cometeram grandes erros com as demais comunidades de imigrantes do leste europeu que constituem a região como áquelas que também não fazem parte deste . Aliás, “Vila Zelina, o bairro lituano de São Paulo” ?! É brincadeira de alguém que não tem noção…..Interessante alguém afirmar de que não faz parte do “leste europeu” e nos sites de suas entidades escreverem o contrário . Estive na reunião e vi a contradição. Estranho e contraditório, não é ? Isto me lembra as aulas de biologia quando nos ensinaram a definição da palavra “parasitismo”, onde um ser utiliza o outro para seu benefício exclusivo e próprio. O que estes querem mesmo é tentarem tomar posse de algo já pronto e trabalhado por outros. Que Vergonha….