5 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 28 de março de 2013, 15:34

    Onde estão os politicos da nossa região ??? Vergonha, a nossa região sofre com o Trânsito a anos, e não vejo nenhuma ação.
    Concordo com a Angela Melo, e poderiamos sim organizar uma passeata ou pelo menos solicitar uma reunião com os politicos que prometeram e que não cumpriram !!!

  • Anônimo 26 de março de 2013, 12:32

    A FVP poderia organizar uma passeata de protesto dos moradores da região. Ninguém aguenta mais tanto descaso. Moro na Anhaia Melo e tenho o desprazer de ver esta interminável obra todos os dias. Me irrita o trânsito, o lixo, a poluição visual.

  • Anônimo 21 de março de 2013, 23:42

    Entra ano, sai ano, trocam-se os responsáveis pela administração municipal, mas nada muda. Em Vila Zelina, o morador já se acostumou a cometer seus “pequenos” delitos de trânsito, sobretudo os que prejudicam diretamente o pedestre, como estacionar sobre as calçadas ( se houvesse uma fiscalização geral e séria no bairro, poucas seriam aprovadas ).
    Estaciona-se sobre o passeio com a naturalidade de quem estaciona em sua própria garagem. Que se dane o pedestre.
    Existem certos “pontos viciados” onde isso ocorre, com horários regulares e frequência idem, sempre às claras e à vista de todos. Conta-se, obviamente, com a impunidade provocada pela precariedade da fiscalização.
    Eu pensava que, além da CET, a PM também teria o papel de fiscalizar e multar, mas quando presencio eventos delituosos ocorrendo em sua presença ou proximidade , descubro que estou errado; como exemplo: na rua Inácio, altura do número 630, há a sinalização de “Proibido Estacionar”, mas isso não comove os motoristas, mesmo com a presença de policiais na Pça República Lituana, a cerca de 20 metros do local. O mesmo se dá na Avenida Zelina, altura do 749.
    E, como mencionei, há os carros sobre calçadas. Esses estão espalhados pelo bairro, sobretudo nas vias mais interiores, como Merú; Mal Mallet; Gustavo Pires de Andrade; Rua Rio do Peixe, etc. Na Vila Bela, posso citar Rua das Heras com rio do Peixe; Santa Adeodata; Verbenas; Campos Novos com Heras; Baía Grande, etc. A lista de “hot points” é enorme e conhecida de todos. Nos fins de semana, fica tudo do jeito que o diabo gosta.
    Claro que a intenção desta mensagem não é pedir qualquer coisa à CET, e nem apelar à consciência do “cidadão”, mas apenas e testemunhar fatos que ocorrem, ainda que muita gente fale de uma tal indústria da multa paulistana. Diante dos fatos que apresento, de fácil averiguação e difícil questionamento, essa “indústria” parece mais uma lenda urbana que as pessoas seguem repetindo porque lhes convém.

  • Anônimo 21 de março de 2013, 13:47

    😡 Sem contar os transtornos aos comerciantes locais, muitos estão fechando suas portas devido a imensa falta de respeito com a população, que se preparou para aguentar um período curto de transtornos, mas que na realidade, em nosso velho Brasil, não o mínimo de planjemento e comprometimento com prazos e termos acordados. VERGONHA! Só para concluir, os fins não justificam os meios.

  • Anônimo 17 de março de 2013, 12:08

    É a velha enrolação tucana de sempre. Expansão São Paulo, quem lembra? Só papo furado eleitoral. Com certeza culparão a atual prefeitura quando chegarem as eleições, esquecerão convenientemente os anos de Serra-Kassab.
    Pior: esse monotrilho, segundo o próprio secretário de transportes declarou, suportará a demanda de no máximo até a Oratório. Ou seja, ao invés de Metrô, fizeram isso por ser “mais rápido”, enrolaram a população mais uma vez.