12 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.
  • Anônimo 13 de maio de 2012, 15:14

    Se existe a lei ela deve ser cumprida,ponto.
    Porém não posso concordar c/ esta cortesia co chapéu alheio, porque professores devem ter direito á meia-entrada????

    • Anônimo 19 de maio de 2012, 13:01

      Sr. Silvio,
      A única maneira de um país crescer é através da educação. A educação só se faz com profissionais bem formados e que tenham acesso à constante formação e informação. Investir nos profissionais da educação é investir no seu próprio país. Todos saem ganhando.

  • Anônimo 18 de maio de 2012, 17:17

    Que ridículo, se é lei com certeza deve ser cumprida. Caro Sr. Silvio. L. Paniguel, garanto que se o sr. ou alguém de sua família lecionasse para o município com certeza a lei seria uma ótima escolha e não estaria fazendo cortesia com o chapéu alheio, mas como não é assim….. fazer o que cada um fala o que quer… por isso o Brasil não vai pra frente, pois temos diversas leis que não são acatadas, pessoas ignorantes que se acham no direito de criticar as poucas leis que favorecem ao povo e não ao legislativo.
    Fica a dica, primeiro se inteire do assunto, depois debata.

    • Anônimo 19 de maio de 2012, 13:59

      Continuo não entendendo o por que professores ou qualquer outra categoria devem ter direito á meia-entrada…se assim for e os médicos,funcionarios públicos etc.
      Na verdade vcs não entendem que não existe almoço grátis,se alguns pagam meia os outros vão ter que pagar
      este custo, desta forma a entrada fica mais cara, por ter de
      subsidiar quem paga meia…lei básica de economia…vão estudar um pouco.

      • Anônimo 11 de junho de 2015, 13:37

        Vou tentar te explicar, os professores são mal remunerados e isso não passa de migalha, é o mínimo que se deve fazer para quem te ensinou a ler e escrever.

        Se por ventura acha fácil ser professor, por favor, faça concurso e vá para uma sala de aula ensinar crianças a ler e escrever por R$ 1800,00.

  • Anônimo 24 de junho de 2012, 04:08

    Primeiro gostaria de registrar que no Cinemark de Guarulhos também se fazem de desentendidos, lamentável.

    Segundo, sei que as leis de incentivo à formação e de incentivo à cultura fazem parte de nossa realidade legislativa, seja no âmbito educacional ou cultural e devemos exigir seu cumprimentos sim, pois muito do que deveria ser revertido para nossa formação como os valores do FUNDEB são revertidos para “formações de fortunas alheias”.
    Para quem não convive diariamente ou desconhece o TRABALHO (sim nós trabalhamos ao contrário do que muitos pensem) de um educador comprometido com sua profissão não imagina o que um simples filme ou apresentação teatral pode auxiliar em nossas aulas, mesmo quando nossos alunos estão na primeira infância.
    Incrível como algumas pessoas se revoltam quando alguns ganham benefícios, mas reclamar da fortuna que alguns recebem de incentivos culturais/educacionais por projetos medíocres ou fantasmas ninguém faz.
    Agora me desculpe Sr. Silvio, dizer que professores precisam estudar para entenderem algo me parece errôneo, não lecionamos apenas e sim estudamos todo o tempo, na verdade somos mais alunos do que nossos próprios alunos , para cada professor temos no mínimo 30 alunos TODOS pagam meia entrada, onde está mesmo o maior gasto ou algum problema com custo/benefício? Algo que pode render um bom estudo para o senhor sob o olhar da economia.

  • Anônimo 25 de junho de 2012, 01:06

    Sou professor e gostaria de dizer que também sou contra a meia entrada. Mas também sou contra ser o profissional mais mal pago com nível superior do país. Silvio, vou responder sua pergunta. Porque ganhamos muito mal. E vou fazer uma a você. Porque os professores não ganham igual a um médico? Um arquiteto? Um engenheiro? Todos tem uma graduação, qual é a diferença? Olha o exemplo de valorização da Coréia do Sul cara, veja o que proporcionou para o país. Você precisa ler mais.

  • Anônimo 9 de setembro de 2012, 18:01

    Passei por isso na sexta feira no Teatro Bradesco,já encaminhei reclamação e vou até o fim pelo meu direito.

  • Anônimo 28 de setembro de 2012, 12:05

    🙁

  • Anônimo 2 de novembro de 2012, 20:32

    Boa noite!
    Senhores, lei foi feita para ser cumprida e não questionada, aqueles que não concordam com tal lei, procure um parlamentar discuta o assunto, faça um projeto de lei ´´derrubando tal Lei´´. Até lá 50% de desconto aos nossos queridos mestres.
    Boa noite!

    Quanto ao Cinemark … APENAS CUMPRA.

  • Anônimo 19 de novembro de 2012, 13:15

    Sou professora da rede estadual de ensino e também não gostaria de usufruir do direito à meia- entrada. Contudo, Recebo menos de 2 mil reais por mês e tenho que pagar aluguel, moradia, transporte e alimentação como todo brasileiro. A únca diferença é que, com esse mesmo pouco salário, devo investir em qualificação e atualização profissional, CONSTANTEMENTE, para ser uma profissional de qualidade. Preciso preparar aulas atuais, dentro do currículo e que sejam atrativas para alunos que e têm o direito de ter uma educação de qualidade. Então, além de todos os gastos comuns, tenho que pagar internet, cinema, teatro, shows, museus e cursos de especialização que são inerentes à profissão!
    Sendo melhor remunerada, abro mão do meu direito. Enquanto isso não acontece, exijo que se faça cumprir a LEI!
    Então, Sr. Silvio, respeito sua opinião do contra, mas não reclame da qualidade do ensino oferecida aos seus fihos , familiares ou conhecidos, pois o que agrega qualidade é o investimento no progresso.

  • Anônimo 22 de junho de 2016, 23:06

    Totalmente de acordo com o benefício concedendo meia-entrada em estabelecimentos que proporcionem lazer e entretenimento aos professores da rede estadual, pelos motivos já expostos.Vergonhoso e repugnante neste país é o salário pago aos políticos. Aliás, é difícil precisar quanto recebem, considerando todos os auxílios que têm e quanto roubam. Como professora, nas atuais circunstâncias, qualquer *esmola* é bem vinda.