4 Comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.

  • Anônimo 5 de setembro de 2010, 13:45

    Olá, viemos morar na Mooca há 2 anos, pela tranquilidade e simpatia do bairro. Estamos também preocupados com o grande aumento populacional da ‘nossa’ região devido aos inumeros empreendimentos imobiliarios que a cada dia surgem por aqui. Espero que o jeito ‘moóca’ de ser não desapareça com este progresso! Abraços.

  • Anônimo 4 de setembro de 2010, 20:46

    🙁 é com tristeza que vwemos a Mooca perder seu recorte histórico de forma vertiginosa. De nada adiantou termos participado de tantas reuniões e plenárias antes e durante a redação do novo Plano Diretor da Cidade, pois hoje na cidade quem manda nas questões urbanas é o mercado imobiliário. Tem coisa legal? tem, mas tem muita coisa duvidosa, como destruir a fábrica da Comapnhia União dos Refinadores e deixar, “pra inglês ver”, apenas a chaminé.

  • Anônimo 8 de setembro de 2010, 14:39

    Achei ótimo! Aquele lado da Moóca sempre foi muito feio, com a obra vai ficar lindo. Só não entendo porque alguns moradores têm medo do crescimento populacional, eles deveriam ir morar na granja viana, por exemplo. Todos têm direito a moradia, a Moóca não só de quem já mora lá. Parabéns à construtora que vai deixar aquele lado feio do bairro, muito lindo!

  • Anônimo 14 de agosto de 2012, 01:26

    Como assim: “Os galpões em si, embora tivessem valor histórico, arquitetonicamente eram bastante feios.” ?
    Os galpões tem sua beleza, eles retratam o período industrial. Lá fora todos dão valor a essa arquitetura industrial, dando nova vida a elas transformando em galreias, museus… Aparentam “feios” por estarem mau conservados.
    Triste, muito triste, ver esse lugar se transformando numa residencia vertical….