Colunão

Lá e cá
Poucas horas após o incêndio que destruiu parte da catedral de Notre-Dame, em Paris, as doações para reconstrução já ultrapassavam 600 milhões de euros, o equivalente a R$ 2,6 bilhões – e a soma não para de aumentar. De acordo com a BBC News, somente dois dos grandes empresários franceses, do setor de luxo, fizeram doações que, somadas, batem R$ 1 bilhão.
Matéria do Estado de S. Paulo, compara que o Museu Nacional, no Rio de Janeiro, incendiado no ano passado, recebeu R$ 1,1 milhão em ajuda – sendo R$ 950 mil do exterior. Outro exemplo é o Museu do Ipiranga, fechado ao público desde 2013 por causa de graves problemas estruturais. Conforme foi ressaltada neste mesmo espaço semanas atrás, o governador João Doria (PSDB) fez uma cerimônia no fim de março, no Palácio dos Bandeirantes, para apresentar o projeto de restauro do Museu, dos jardins e da fonte a diversos empresários, na esperança de sensibilizá-los. Na ocasião, o Estado dispunha de apenas R$ 36 milhões dos R$ 160 milhões orçados. A expectativa é reabrir o espaço no Bicentenário da Independência em 2022.

Reflexões
Vários fatores contribuem para esse disparate na onda de solidariedade, inclusive culturais e do nível de confiança dos respectivos governos. Mas, a principal questão pode ser financeira mesmo. Diferente do que ocorre em diversos países da Europa e também nos Estados Unidos; aqui no Brasil essas doações não podem ser deduzidas do Imposto de Renda. Na França, por exemplo, a isenção fiscal pode chegar a 80% em casos de doações semelhantes às ocorridas nesta semana à catedral de Notre-Dame.

Enquanto a plebe rude….
Apesar da fraqueza das atividades econômicas, com cerca de 15% da população ativa desempregada, os bancos brasileiros encerraram o ano de 2018 com lucro liquido recorde, de quase R$100 bilhões. Isso representa um aumento de 17,4% em referência ao ano anterior. É um acinte, um tapa na cara de quem trabalha.

Tensão na Mooca
O clima esquentou de vez entre moradores e comerciantes da Mooca e o padre Júlio Lancelloti, pároco de São Miguel Arcanjo, na rua Taquari, e coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo. As polêmicas, inclusive com governantes, fazem parte da vida do padre Lancelloti há anos, mas recentemente ele passou a ser alvo de várias mensagens de intolerância e ódio, principalmente em grupos de redes sociais, que postam até o endereço e fotos de sua casa em tons de ameaça. Em uma das mensagens, um internauta escreve: “Morte a esse padreco de m… Fora da Mooca. Viado, filho do diabo”. Em outra: “Tem que começar mandando esse padre pro inferno, e depois seus seguidores…”.
Referência na defesa dos direitos da população de rua, o padre é acusado em muitas dessas mensagens de ser o responsável pela grande quantidade de moradores em situação de rua na Mooca.
O caso foi parar no Ministério Público que recebeu representação assinada pelo Cardeal de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, e demais órgãos cristãos e de Direitos Humanos.
Nota: o problema das redes sociais atingem a tudo e a todos. Joga-se lama em reputações, denigrem-se pessoas e nada acontece, exceto as eleições de Trumph e Bolsonaro.

Tensão na Vila Ema
A Folha recebeu dezenas de mensagens após o flagrante da semana passada, mostrando equipes da própria Prefeitura auxiliando a mudança de famílias para o precário prédio da antiga Padaria Amália – que foi alvo de desocupação promovida pelo próprio governo três meses atrás. Além de parabenizar o jornal pela denúncia, a maioria das mensagens foi de muita indignação com a ação da administração municipal (leia algumas delas no Painel do Leitor ).
A displicência da Prefeitura em simplesmente transferir o problema dessa população de sem-teto de um lugar para o outro, só esquenta ainda mais os ânimos em uma questão delicada que merece extrema atenção. E a postura de sequer tentar explicar o ocorrido na Vila Ema só aumenta a temperatura da discussão.

Parque da Esso
Grande grupo de entidades sociais, esportivas e meios de comunicação está trabalhando para realizar o 1º Abraço no Parque da Mooca. O evento está previsto para acontecer no dia 19 de maio às 10h. A Folha e o Círculo de Trabalhadores estão engajados na campanha. Mais informações nas próximas edições.
Para registro: este hebdomadário está há mais de 16 anos lutando pelo parque, aliás fomos o primeiro a defender a medida.

Taça das Favelas
A garotada da Comunidade de Vila Prudente entra em campo novamente no próximo dia 27, às 14h30, contra a equipe da Favelas do Peri. O jogo será no Centro Esportivo Vicente Feola, na Vila Manchester.
Com apoio da Prefeitura, a Taça das Favelas é realizada pela primeira vez em São Paulo e reúne mais de 20 mil jovens, entre 14 e 17 anos, de comunidades carentes da cidade.

Juventus – 95 anos
O Clube Atlético Juventus está preparando uma grande festa para comemorar seus 95 anos de fundação. No próximo dia 4, a partir das 21h, acontece jantar no salão Nobre. Para animar a noite haverá shows das bandas Brazilian Plaza e Sun 7 e dos cantores Ary Sanches e Peninha. Convite R$ 120. Informações sobre vendas pelos telefones: 2271-2000 e 95825-1685.

Bullyng
O Colégio João XXIII promove palestra com o Dr. Miguel Angelo Boarati que vai debater sobre o problema atual de bullyng nas escolas. O evento aberto a todos professores da região, acontece dia 29 de maio, às 19h, no salão Nobre do Círculo, na rua José Zappi, 120.
Dr. Miguel é psiquiatra especialista em infância e adolescência. Autor de diversos livros sobre o tema, é uma das maiores autoridades sobre bullyng no Brasil. Informações a partir do dia 6 de maio pelo telefone 2271-3364.

Semana Santa
A Paróquia Santo Emídio faz hoje, às 20h, a Missa do Lava Pés. Amanhã, Sexta-feira Santa, ocorrem às celebrações de Paixão de Cristo com vigília e oração a partir das 7h, Celebração da Cruz às 15h e a Procissão do Jesus Morto pelas ruas do entorno da igreja a partir das 18h. No sábado, dia 20, acontece a Celebração do Fogo Novo a partir das 19h. A Celebração da Páscoa do Senhor no domingo contará com missas as 7h30, 10h e 18h30. A Paróquia fica na rua Ingaí, 67, Vila Prudente.