Colunão

*Colunão publicado em 16 de outubro

Eleições
Posso estar enganado, mas nada me tira da cabeça que a candidatura de Jilmar Tatto (PT) não vai emplacar. O candidato não mostra a que veio, e sofre a concorrência direta de Guilherme Boulos (PSOL) que paulatinamente vai arrebanhando à esquerda.Pelo centro Andrea Matarazzo (PSD) tem chances de subir, mesmo com pouco tempo de televisão. É capaz, conhece a máquina administrativa da cidade, e tem ficha impoluta.

Ligação do papa
Em discurso aos fiéis no Vaticano, na manhã do último domingo, dia 11, o papa Francisco discorreu sobre a ligação que fez um dia antes ao padre Julio Lancellotti, pároco da igreja São Miguel Arcanjo, na Mooca, e coordenador da Pastoral do Povo de Rua da Arquidiocese de São Paulo. Recentemente, padre Julio foi alvo de novas ameaças de morte e ouviu do papa para não desanimar e manter a coragem para seguir apoiando os mais fracos.
Padre Julio revelou que ficou muito surpreso com a ligação e que, a princípio, achou que era um jornalista internacional.

Terminal de ônibus
Em campanha à reeleição, o prefeito Bruno Covas (PSDB) esteve no Terminal Vila Prudente de ônibus na manhã da última terça-feira, dia 13. O espaço foi inaugurado há um ano e meio por Covas, após muitos prazos não cumpridos e adiamentos. Integrado às estações de metrô e monotrilho, o Terminal reúne 36 linhas e atende 60 mil passageiros diariamente.
Na verdade, a obra deveria ter sido tocada junto com a construção da estação Vila Prudente do Metrô, pois engloba a passarela de pedestres. Por anos, usuários de ônibus e do metrô ficaram reclamando da travessia pela avenida Anhaia Mello.

Região em foco
No feriado de 12 de outubro, o subprefeito de Vila Prudente, Caio Luz, participou de três reuniões virtuais com alguns representantes da região, como o presidente da Associação dos Moradores e Comerciantes de Vila Zelina (Amoviza), Demetrio Dimitrov, e o arquiteto Julio Olivieri, do Parque São Lucas, entre outros empresários e moradores locais. Foram tratados diversos temas, entre os quais uso e ocupação do solo, recapeamento, iluminação e perspectivas para o comércio.
Atrás de tais reuniões, promovidas também por outros subprefeitos da capital, há um claro e inequívoco interesse eleitoral do atual prefeito.

E por falar nisso…
Através da vereadora Edir Sales (PSD), aqui da região, e apoio desta Folha, a escola de samba Raízes de Vila Prudente está solicitando à Subprefeitura de Vila Prudente a autorização em caráter de comodato, à utilização dos baixos do viaduto da avenida Anhaia Mello no entroncamento com a avenida Salim Farah Maluf. O presidente da Raízes, o popular Ataliba, já aprontou toda a papelada exigida pela Subprefeitura de Vila Prudente. Espera-se que a resolução saia antes do pleito. Nada mais justo.

Vila Ema – 126 anos
Amanhã, dia 17, Vila Ema completa seu 126º aniversário de fundação. A história do bairro está intimamente ligada à colônia alemã, já que seus fundadores Victor Nothmann e sua esposa Emma Nothmann (patronímica do bairro) eram de origem germânica. Um dos lideres incontestes do bairro é Antonio Geraldo Bueno (Bueno Modas), que dá sua vida em prol das melhorias locais. Outro nome a lembrar na região é o do falecido Possidônio Joaquim Oliveira, grande e inesquecível líder comunitário.

Central Plaza
Com a entrada da capital na Fase Verde do Plano São Paulo, estabelecimentos comerciais puderam ampliar o horário de funcionamento. O Central Plaza Shopping, por exemplo, anunciou nesta semana que está aberto de segunda a sábado das 10h às 22h e aos domingos e feriados das 14h às 20h. A Praça de Alimentação funciona todos os dias das 11h às 22h.
Em tempo: em parceria com a Folha e o Círculo de Trabalhadores, o shopping abriga uma exposição alusiva aos 130 anos de Vila Prudente. O Central Plaza fica na avenida Dr. Francisco Mesquita, 1000.

Portas abertas
A Só Natal, megaloja de decoração natalina na Vila Prudente, iniciou o atendimento presencial ao público na terça-feira, dia 13. Com todos os protocolos recomendados de segurança, está funcionando de segunda a sexta-feira das 9h às 18h e aos sábados das 10h às 17h. São artigos exclusivos, já que a empresa tem fabricação própria.
A Só Natal atende na rua José dos Reis, 561. Mais informações: 2345-8444.

Nos porões da imprensa
Se o caro leitor tem interesse em saber como funcionava a imprensa carioca e brasileira na segunda metade do século 19, aconselho-o a ler a biografia “Samuel Wainer – o homem que estava lá” de autoria de Karla Monteiro (Companhia das Letras – 583 páginas). Além de conhecer as formas mais heterodoxas e aéticas de jornalismo, o leitor ficará sabendo da trajetória de Getúlio Vargas desde a Revolução de 30, até seu suicídio em 1954, e a tomada do poder pelos militares em 1964. Um dos aspectos que mais me chamou atenção é que naquela época jornal tinha lado, não só no editorial, mas em todo noticiário.

Mais literatura
Para aqueles que como eu, abominam os manés (indivíduo inepto e chato) que infernizam nossa vida, sugiro a leitura do livro “O manual do Mané” dos autores Arthur Dapieve, Gustavo Poli e Sérgio Rodrigues (Planeta-124 páginas). Além de dar boas gargalhadas. O leitor vai encontrar uma pá de gente próxima que se enquadra no “manezismo” que infesta a comunidade.
E creiam… há muitos manés diplomados e com pós graduação.

Profª Alzira Altenfelder Mesquita
Faleceu no último dia 13, aos 104 anos de idade. Ao lado do marido, o também professor Alberto de Mesquita Camargo, fundou o Colégio São Judas Tadeu, na Mooca. Os dois haviam chegado em 1946 de São Carlos, no interior de São Paulo, e deram aulas em escola da região Central e na própria Mooca, como a escola estadual Professor Antonio Firmino de Proença. Mas, logo sentiram a necessidade de diminuir o déficit educacional que existia na Zona Leste e em 1947 improvisaram na garagem da própria casa, na rua Wandenkolk, um cursinho preparatório para o exame de admissão que, na época, era obrigatório para ingressar na escola pública. Com o tempo, compraram o terreno na rua Clark, onde foi iniciada a construção do Colégio São Judas. Assim como o marido, D. Alzira deixa um legado de amor à educação, a qual se dedicou até os últimos dias de vida.