Colunão

Odloak responde
Sobre nota que publicamos na edição de 30 de maio citando o ex-subprefeito da Mooca, Eduardo Odloak, como complacente na fiscalização das obras do famigerado Shopping Capital, ele responde o seguinte: “Conheci o empreendimento na sua inauguração, logo após eu ter assumido a Subprefeitura em 2006. A obra foi iniciada na gestão do prefeito Celso Pitta em 1999. A estrutura do prédio foi consolidada em 2003 quando Marta Suplicy era prefeita. Como havia irregularidades na obra, os proprietários entraram com pedido de anistia, o que foi negado”.

Odloak II
“Portanto, nota-se claramente, que jamais eu poderia ser responsabilizado pela construção do shopping, já que na ocasião, eu nem imaginava trabalhar na Prefeitura”. Odloak segue dizendo: “O processo (de anistia) ficou três anos em análise, e recebeu resposta pouco tempo após a inauguração em 2006, o indeferimento pela Secretaria de Habitação. Naquele momento o Shopping Capital já havia vendido suas lojas aos comerciantes, negociado com investidores e gerado uma porção de empregos. Assim que a Subprefeitura da Mooca, soube da situação seu Departamento de Fiscalização notificou o estabelecimento, multando-o como manda a lei”

Odloak III
“De acordo com os técnicos da Prefeitura, para regularizar o Shopping, os dois andares superiores (construídos a mais) deveriam ser demolidos, ou terrenos vizinhos incorporados à obra. Simultaneamente a Secretaria de Habitação deu 90 dias para que a situação fosse regularizada sob pena de fechamento. É nesse ponto que a Justiça entende que fui omisso, achando que eu deveria cumprir de pronto a medida, tão logo esgotasse o prazo de 90 dias. Na minha opinião, fechar um estabelecimento deste porte, só deveria ser feito após terem sido esgotados todos os recursos. Há muitos sonhos e lutas pessoais dentre os ocupantes do shopping. Por esta razão aguardei o último recurso para aí sim determinar o fechamento, o que mandei fazer, colocando malotões de concreto na porta e lacrando o estabelecimento. Portanto, estou absolutamente tranquilo que agi dentro da lei. Na minha opinião, o Shopping Capital deveria ser duramente penalizado por ter construído acima do permitido”, conclui Odloak.

Opinião do colunista
Os responsáveis pela construção do Shopping Capital, os mesmos donos da Faculdade Capital, foram no canto de sereia de alguns políticos locais, que a troco de vantagens garantiram que se poderia construir mais dois andares no prédio, que eles arrumariam uma anistia, e o competente alvará de funcionamento. Acontece que a turma encontrou pela frente gente que não estava disposta a fazer maracutaia, e o “projeto” ruiu.
Os pecados de Odloak foram dois: ir à inauguração de um prédio sem alvará, e não aceitar de pronto a ordem de fechamento, baseando-se em sua índole humanista (ao menos é isto que se deduz de sua carta).
Por derradeiro repito o que disse em outra edição: a verdadeira história da construção do Shopping Capital ainda está para ser escrita.

Seconci na mira do Fisco
Repercutiu na grande imprensa nos últimos dias, supostas irregularidades cometidas pelo Serviço Social da Construção Civil (Seconci), OSS (Organização Social de Saúde) que detém contratos milionários com o Governo do Estado, entre eles, a administração do hospital estadual de Vila Alpina desde a sua fundação. Devassa feita pela Receita Federal apontou que, com o dinheiro público da Saúde de São Paulo, pagou-se R$ 142 mil por um tomógrafo que custa R$ 85 mil, entre outras denúncias. Ainda segundo o Fisco, diversos equipamentos teriam sido adquiridos pela OSS sem pesquisa de mercado.
O Seconci afirma que já prestou os esclarecimentos necessários e alega que seus contratos geraram economia de R$ 600 milhões em cinco anos. A Folha vai se aprofundar na questão nas próximas edições.

Viaduto Bresser
No último domingo, dia 9, o viaduto Bresser operou com apenas uma faixa por sentido para vistoria técnica da Prefeitura. A Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) informou à Folha que está elaborando, em caráter emergencial, o laudo estrutural desse importante equipamento viário da Mooca. A secretaria esclareceu ainda que estão sendo realizadas inspeções especiais para o mapeamento das condições da estrutura. No domingo foram realizados serviços de levantamento de dados sobre o pavimento e vistoria nos passeios laterais. Os serviços devem ser concluídos em até quatro meses.
O viaduto teve os baixos desocupados recentemente em ação de reintegração de posse. No local ficava parte da Favela do Cimento.

Meio ambiente
O vereador Gilberto Natalini (PV) encaminhou à redação da Folha cópia do ofício endereçado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL), ao governador João Doria (PSDB) e ao prefeito Bruno Covas (PSDB) por ocasião do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no último dia 5. Ele ressaltou que “na cidade de São Paulo, sem medo de errar, temos muito pouco a comemorar”. Ele ressalta que há meses vem denunciando a aguda e imensa devastação das áreas verdes remanescentes de Mata Atlântica.
Natalini está ao lado da comunidade da Mooca na luta pela preservação do antigo terreno da Esso como área verde em sua totalidade.

Coleta seletiva
A matéria sobre a coleta seletiva publicada na edição passada repercutiu entre os leitores, principalmente na página do Facebook da Folha. Muitos ressaltaram a sua rotina e a de vizinhos em separar o lixo orgânico dos materiais recicláveis porque nas ruas onde residem o serviço da Prefeitura funciona regularmente. Outros lamentaram que as vias onde moram ainda não são atendidas pela importante ação.
Nessa semana, a reportagem questionou mais uma vez o governo municipal sobre a necessidade da ampliação da coleta para todas as ruas da região.

Publicidade online
Os principais anunciantes da Folha também ganham importante espaço na versão digital do jornal. É mais uma iniciativa para potencializar o alcance dos nossos clientes.
Em tempo: o site da Folha vem crescendo em visualizações e já se firmou como mais um importante meio de comunicação da região.

Vila Ema em festa
O Círculo de Vila Ema – Rua Pinto da Luz, 705 – promove festa junina neste fim de semana, dias 15 e 16, a partir das 14h. Entrada franca com comidas e bebidas típicas. Mais informações pelo telefone 2211-4155.

Mais festa
Hoje, dia 14, das 10h às 12h, acontece festa junina promovida pelo Serviço Social do Círculo. O evento será no salão Comunitário – Rua José Zappi, 255 – entrada franca, bebidas e comidas típicas, dança e diversão.

De rosto colado
A União dos Moradores da Vila Santa Clara – Rua Caiobas, 104 – promove o Baile dos Namorados, amanhã dia 14, das 20h às 24h. Animação por conta da Banda Estilo Nosso. Convites a R$ 15 no local. Informações pelos telefones 2495-5488 Ditão e 2022-4411 Nene.