Piscinão Guamiranga: Governo do Estado não cumpre prazo de conclusão

Enquanto a região continua enfrentando alagamentos a cada chuva mais forte, o Governo do Estado não explica porque a obra do Piscinão Guamiranga sofreu novo atraso. Em construção desde 2012 entre os baixos do viaduto Grande São Paulo e a avenida Doutor Francisco Mesquita – justamente um dos pontos mais críticos da Vila Prudente; o equipamento tinha  previsão de conclusão para o final de 2014. O prazo foi prorrogado para outubro de 2016 e mais uma vez, não foi cumprido.

O piscinão ocupa área de 70 mil metros quadrados, dividida em três células conectadas por galerias, distribuídas no entorno do Centro de Detenção Provisória existente no local. Terá 23 metros de profundidade e a promessa é que, quando ficar pronto, vai contribuir para a retenção de água do rio Tamanduateí no pico de tempestades.

Em fevereiro do ano passado, questionado pela Folha, o DAEE não esclareceu o motivo da extensão do prazo de conclusão das obras e informou que 70% dos trabalhos haviam sido executados. Na época, segundo o órgão, as máquinas estavam concluindo a escavação do reservatório, a implantação de paredes em todo perímetro e construção da estrutura de captação de água do Tamanduateí. E a conclusão estava prevista para outubro do ano passado.

Nesta semana a reportagem cobrou esclarecimentos do DAEE sobre o atual estágio da obra, nova data de entrega e o motivo do não cumprimento do prazo, mas não obteve retorno até o fechamento da edição.