30 Comentários

Deixe um comentário

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.

  • Anônimo 10 de maio de 2015, 00:42

    E vai ter muuuuuuita ciclovia.
    Vamos abrir a mente pessoal. Chega de uma cidade só pra carros. Essa é a chance de perder habitos que só fazem mal pra saúde, pro meio-ambiente e pra cidade. Diminuam a carrodependência!!!

    • Anônimo 11 de maio de 2015, 13:12

      Concordo que deva ter “muuuuuuita ciclovia”, mas desde que tais ciclovias sejam implementadas após passarem por um bom planejamento. E é exatamente isso que NÃO está ocorrendo. Tudo está sendo feito às pressas e de qualquer maneira (se não crê, veja os buracos pintados de vermelho em uma matéria desta edição). O prefeito quer fazer com São Paulo o mesmo que foi feito em Nova Iorque, Paris e Amsterdã, mas se esqueceu do detalhe geográfico: enquanto essas cidades apresentam uma topografia plana (favorável às ciclovias), São Paulo possui topografia acidentada. Você já imaginou uma ciclovia na Rua Baía Grande ou na Ladeira Porto Geral?
      Cada prefeito que entra em São Paulo se julga o dono da cidade. Se ele foi eleito pela maioria, ele deve deve administrar em prol da maioria, e, não, fazer da cidade o quintal de sua casa.

    • Anônimo 13 de maio de 2015, 04:54

      É isso aí, vamos pintar até o cox de vermelho!

    • Anônimo 5 de fevereiro de 2016, 20:52

      Não fala merda! A população está envelhecendo, se vc não sabe… Em breve, teremos muito mais idosos do que jovens. Nem todo idoso tem saúde para andar por aí de bicicleta. Idoso de 90 anos, que precisa de bengala para andar, vai sair de bicicleta?? São Paulo não é Europa e aqui, não tem condições de ter estas porcarias de ciclofaixa. Tudo é longe e nem quem tem condições, não consegue ir muito longe de bike. Tem limite pra bicicleta. Existem muito mais carros do que bike e a prioridade deve ser da maioria.

    • Anônimo 5 de fevereiro de 2016, 20:54

      Ah, não fala merda… SP não é Europa. Se querem copiar Europa, copie o que preste. Aqui não cabe ciclofaixa. Europa cabe. Não existe comparação.

  • Anônimo 9 de maio de 2015, 12:20

    Ulha, agora que percebi que tem a Pinheiro Guimarães, local onde, todos os dias, as calçadas são invadidas por dezenas de automóveis e todos fazem vista grossa, ninguém fica indignado. Olha a hipocrisia dando as caras no bairro novamente. Por isso leio esse jornal.

  • Anônimo 11 de maio de 2015, 19:15

    “empreendedores que repentinamente perdem vagas de estacionamento tão preciosas para o comércio de rua”. Querem ter vagas de estacionamento? Construam um. Rua não pode ser estacionamento de estabelecimento comercial. Aliás, o matéria tendenciosa.

    • Anônimo 11 de maio de 2015, 21:58

      Exatamente! Parabéns pelo comentário.

  • Anônimo 9 de maio de 2015, 12:10

    Mostra aí as calçadas que os moradores de ruas como Gustavo Pires de Andrade construíram

  • Anônimo 8 de maio de 2015, 18:13

    Sabe o que é pior, passo todo dia nessas ruas e nunca vi ninguém de bicicleta por lá, isso que o Prefeito esta fazendo é autoritarismo e não democracia, pois pelo que eu saiba nunca fizeram um estudo pra ver a necessitada e viabilidade dessas faixa, nem ao mesmo ouviram a população. Agora as pessoas não tem nem onde estacionar seus veículos, pois nem estacionamentos existem nessas ruas.

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 12:26

    Será que não existem outras prioridades mais relevantes nesta cidade do que as ciclovias? Será que os bueiros da cidade estão todos desobstruídos? Será que as enchentes do verão já viraram coisa do passado? Será que a fila de 140 mil crianças aguardando vagas em creches municipais já foi zerada? Engraçado, para a construção de creches a prefeitura diz não haver recursos, mas para pagar R$60 milhões apenas na ciclovia da Av. Paulista, tem. Afinal de contas, nada melhor que construir 400 km de ciclovias para resolver todos os problemas do município, não é mesmo?

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 11:55

    Gostaria de saber se quem mora em Itaquera e trabalha no Morumbi se iria e voltaria de bicicleta todos os dias. Claro que não!!! Para isso funcionar primeiro deveria trazer as grandes industrias e empresas para a periferia, pois pedalar 5 km é uma coisa 40 km é outra. Sou a Favor desde que exista planejamento, hoje as ciclovias são feitas no calar da noite, sem ao mesmo questionar a viabilidade e local.

    • Anônimo 13 de maio de 2015, 12:37

      Concordo plenamente com a leitora Rita! Deveriam descentralizar as industrias e escritórios hoje todos localizados na região da Berrini e Paulista! Infelizmente quem mora na zona leste hoje sofre de 2 duas para conseguir chegar no trabalho.

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 03:26

    A rua Professor Gustavo Pires de Andrade termina e começa em ladeira… quem mora aqui e quer andar de bicicleta vai para o parque ou ruas planas da região. É por isso que não se vê nenhum ciclista nas ruas dessa ciclovia. A obra não foi feita nem sequer pensando no benefício de ciclistas !!! O prefeito fez propaganda de que irá fazer 400 km de ciclovia, e agora está enfiando ciclofaixa em qualquer lugar.
    Só para cumprir meta: SEM NENHUM PLANEJAMENTO.
    Não sejam ingênuos, entusiastas do ciclismo: essa ciclo-faixa da Vila Zelina está indo de lugar nenhum para lugar nenhum – o que faz dela inútil para deslocamento para o trabalho, por exemplo – e também com tanta ladeira e buraco, não vamos colocar nossas crianças para andar nela – o que faz dela inútil para o lazer.

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 17:06

    Está na cara que não existe planejamento, o Prefeito quer porque quer bater a meta de 400 km de ciclovias, o Prefeito esta travando o caótico transito que já existe, na Ibitirama ele fez uma faixa de bicicleta que tirou uma faixa de carro e ele bate no peito falando na mídia que não esta tirando faixas de transito só usando espaços que eram reservados a vagas de carro. MENTIRA!!!!

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 17:11

    Creio que estas faixas tem que ser revistas e deixadas somente onde não atrapalha o transito nem a população, como pode eu não poder deixar o carro na porta da minha casa por 5 minutos que seja? Em volta do cemitério da Vila Alpina a faixa já esta cheia de buracos e sem tinta, sem nenhuma manutenção, pra mim este Prefeito é maluco…

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 22:03

    Será que outras prioridades, como fiscalizar e punir rigorosamente os proprietários de calçadas ilegais de Vila Zelina ou fiscalizar e punir rigorosamente quem estaciona nas calçadas de Vila Zelina ou donos de celebrados bares e botecos de VZ que ocupam as calçadas com suas mesas e cadeiras não seriam tão importantes quanto as ciclovias?

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 22:11

    Muuuito planejamento é esse caríssimo ( quiçá superfaturado, como tudo que se refere ao governo estadual ), inútil e eternamente atrasado monotrilho? Aliás, parece que o papo de que Metrô tira carros das ruas é uma bela falácia. Ninguém quer abrir mão, adoram ( sobretudo ) poluição e congestionamentos em nome de um ideal dos anos 50 em que, na verdade, o que importava era menos o transporte e sim o “status” (sic) que o veículo trazia, o que era observado desde que os primeiros automóveis começaram a circular. Transporte mesmo sempre foi o de menos. Por isso é difícil mexer com isso. Não se trata apenas de engenharia e planejamento do uso do espaço público, mas, acima de tudo, de psicologia. Mas sua restrição, ainda bem, é inexorável.

    • Anônimo 13 de maio de 2015, 11:49

      Caro Humberto,

      Percorro todos os dias quase 37 km pra ir outros 37km pra voltar do trabalho? Vc acha que tenho condições de ir de bicicleta???? Vc sabe o que é pegar 3 ônibus lotados os quais eu ia pendurada e passando mal??? Não abro mão do meu carro ele é popular e velho, não é status e sim NECESSIDADE… Quando São Paulo tiver um transporte digno a história será outra, enquanto isso carro é minha opção. Não sou contra as bicicletas mas ciclo faixas nas portas das residências, calçadas e vielas é um absurdo!!!! Esta claro que este Prefeito é louco.

  • Anônimo 12 de maio de 2015, 22:17

    É como aquele ditado português, “…meu pirão primeiro”, só que o pirão de quem tem carro vem em primeiro desde a década de 50 e não querem largar o osso. Até as calçadas eles querem para eles. Na verdade, percebe-se que não é só “transporte” que está sendo discutido aqui.

  • Anônimo 13 de maio de 2015, 04:53

    Esse prefeito foi possuído pelo espírito zombeteiro do Van Gogh!
    Que piada. O cara, pra incrementar KMs em seus números de campanha, pinta até viela.
    É um megalomaníaco. O partido explica tudo!

  • Anônimo 13 de maio de 2015, 19:47

    Ok quer fazer ciclofaixa…ok faça…mas faça direito né!…Eles simplesmente saem pintando a rua sem nenhum estudo, essa ciclofaixa foi feita em uma área residencial, e nunca vi um ser de bicicleta ai..nem nos arredores do cemitério….total sem sentido

  • Anônimo 16 de maio de 2015, 00:02

    Folha da Vila Prudente, nos ajude… Precisamos da mídia para denunciar esses abusos… Ciclo faixas sim mas com planejando e não da forma autoritária como tem acontecido. O Haddad está fazendo de São Paulo o quintal da casa dele e São Paulo é de todos nós!!!!!!!!!!

  • Anônimo 14 de maio de 2015, 13:51

    Fácil é falar que é importante ter ciclovias no bairro, dificil é te-las na porta da sua casa e voce perder o direito de parar o seu carro na porta e ainda correr o risco de ser multado!
    Isso é mais um gasto a mais e onde poderia investir na educação do motorista e não em ciclovias onde o risco de morte é maior!

  • Anônimo 14 de maio de 2015, 15:38

    A ciclovia que foi pintada na avenida Anhaia Melo, não atrapalha em nada o trânsito, já que ela foi feita sob o viaduto do monotrilho, mas quando a ciclovia invade o espaço de inúmeros moradores, isso gera grande transtorno. A rua professor Gustavo Pires de Andrade, é extremamente íngreme, e tem subidas e descidas com grande aclive e declive, certamente muitos ciclistas irão se machucar, se é que tem algum que vá utilizar esta opção. Totalmente insano o projeto, totalmente mal executado, basta ver a qualidade do serviço executado pela CET na calada da madrugada, atrapalhando nosso descanso, aliás cadê o projeto PSIU? ou será que a prefeitura e CET estão acima das leis???? O pior de tudo isso é que ficamos reféns desta insanidade do Sr. Hadad. Ciclovias devem ser feitas em lugares planos e se possível até arborizados, mas onde estão as árvores desta cidade????? Lamentável, deixo aqui meu protesto veemente! Quem fará algo contra esta ciclovia??? há alguma ação coletiva? por favor, respondam-me!!!!!

  • Anônimo 15 de maio de 2015, 14:36

    alguem ta levando muita grana com essas faixas

  • Anônimo 15 de maio de 2015, 14:38

    alguem ta levando uma grana encima dessa ridicularidade

  • Anônimo 16 de maio de 2015, 11:52

    Ontem eu passava perto da Gustavo vi alguém caminhando nessa ciclofaixa e percebi que a Prefeitura atirou no que viu e acerto no que não viu: elas se tornarão excelentes vias de trânsito para pedestres o que, no caso da Gustavo é muito bom, já que as calçadas ilegais ( das quais ninguém reclama, sabe como é, a omertá da comunidade é forte ) dessa rua, muitas das quais já denunciei ( à semelhança do que fiz em relação à diversas calçadas da Verbenas, Roseiras, Baía Grande etc ) há anos, ainda na Adm Kassab, permanecem o mesmo estado ilegal. Clap! Clap!

  • Anônimo 6 de abril de 2016, 12:46

    Quero é mais ciclofaixa! Rezo para que coloquem uma no caminho que faço da minha casa para o metrô(rua ibitirama, desde o começo), mas não colocam.

    NO ultimo mês foram 4 acidentes com ciclistas ali, por falta de ciclofaixa!