Artigos

A maravilha do Natal

*Cardeal Odilo Pedro Scherer

Queridos irmãos e irmãs, filhos da Arquidiocese de São Paulo: desejo um feliz e santo Natal a vocês! Que todos possam experimentar o amor de Deus, manifestado de forma tão admirável no nascimento de Jesus, Filho de Deus nascido humanamente da Virgem Maria.
A festa solene do Natal é riquíssima de significados, e os textos da Liturgia traduzem essa riqueza com expressões de grande beleza e sentido, explicitando o mistério da fé que celebramos. “Dainos participar da divindade do vosso Filho, que se dignou assumir a nossa humanidade” (Missa do Dia do Natal). Esta é a grande bênção do Natal para nós: mediante o mistério da Encarnação, o Filho de Deus assumiu a nossa pobre humanidade para nos enriquecer com a sua divindade.
“Hoje surgiu a luz para o mundo!” (Antífona da entrada da Missa da Aurora). Com o nascimento de Jesus Cristo, a luz de Deus brilhou para o mundo inteiro. Sem essa luz, o mundo continuaria nas trevas da angústia e do erro. Deus é luz, e quem se aproxima de Jesus se aproxima da luz de Deus!
“Tendo vislumbrado na terra este mistério, possamos gozar no céu sua plenitude” (Missa da Noite do Natal). Pela fé em Jesus Cristo, já reconhecemos durante esta vida a grandeza do mistério de Deus revelado a nós por Jesus. O que se passou no nascimento de Jesus é imensamente grandioso, belo e fascinante, já nos enchendo de alegria e paz. Imaginemos, então, quanto maior será a alegria de contemplar o mistério de Deus face a face! Pois é isso mesmo que o Natal nos promete e nisso nós cremos e esperamos! Deus quer saciar nossa fome e sede de perfeição, amor, beleza e paz.
“Acolhei, ó Deus, a oferenda da festa de hoje, na qual o céu e a terra trocam os seus dons” (Missa da Noite do Natal). Com o Natal de Jesus, Deus nos deu um imenso presente, o mais precioso que podia nos dar: seu próprio Filho eterno! A Carta aos Hebreus nos diz que o Filho de Deus não se envergonha de nos chamar de irmãos! Essa é a verdade mais preciosa do Natal.
E a terra oferece a Deus o melhor de seus dons: o próprio homem, com suas grandezas e misérias. E Deus acolhe esse nosso dom nos assumindo na sua grandeza e no esplendor de sua santidade. Nessa troca desigual de dons, Deus não perde nada nem fica diminuído, mas nós ganhamos tudo, e nossa natureza é enriquecida com a divindade Daquele que assumiu a nossa humanidade.
“Por Ele, realiza-se hoje o maravilhoso encontro que nos dá vida nova em plenitude” (Prefácio do Natal do Senhor, III). O mistério da Encarnação e o nascimento do Filho de Deus realizam o encontro de Deus com o homem e do homem com Deus. Na pessoa de Jesus, Deus acolhe o homem e o salva. A salvação é isso: Deus une a si o homem e concede tudo aquilo que o homem deseja e busca.
O mistério do Natal revela de maneira luminosa a dignidade do homem e o sonho de Deus, ao lhe dar a existência: fazê-lo participar de sua glória e de sua felicidade. Isso não é maravilhoso?! Santo e abençoado Natal a todos! Feliz ano de 2020!

*Cardeal Odilo Pedro Scherer é arcebispo metropolitano de São Paulo.

*Texto publicado na última edição deste ano do jornal O São Paulo – Arquidiocese de São Paulo.