6 Comentários

Deixe uma resposta para Esther Torinho Cancelar

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.

  • Gilson Santos Ferreira 1 de abril de 2017, 10:19

    O(PLAY BOY DE GRAVATA),só continua sua saga em exterminar de vez a cultura em São Paulo porque encontra respaldo em alguns artistas, só pode ser. O certo é quando ele promover a tal virada Cultural, deixar que ele contrate só os amiguinhos dele de fora da cidade. Os artistas daqui só estão servindo de Bode- expiatório. Ele realiza a VIRADA, para agradar aquela meia duzia que o APOIA, e em contrapartida, DESTRÓI COM OS MOVIMENTOS JÁ EXISTENTES,. E os politizados sabem muito bem porque, é que nestes movimentos ele encontra uma certa resistência para promover seu candidato a presidente o deu DONO DELE O KIMIMMM. Pronto falei.
    ..

  • Esther Torinho 1 de abril de 2017, 10:28

    É o João Dólar acabando com o que São Paulo tem de bom.
    Teatro Municipal Arthur Azevedo, na Mooca, era sede do Clube do Choro de São Paulo, que integra cerca de 300 músicos.
    Digam aí se essa também dá pra defender

  • Esther Torinho 1 de abril de 2017, 10:30

    João Dólar acaba com o que São Paulo tem de bom.
    Digam se dá pra defender essa também,

  • Mario 2 de abril de 2017, 04:55

    Novo programa da prefeitura: Acelera Desmanche!!!!!

  • Juliana Gil 8 de abril de 2017, 21:28

    Triste. Agora em São Paulo o único valor aceito é o da grana. Valores culturais, que não podem ser privatizados, são descartados.

  • JOÃO CARLOS GURTOVOI 8 de abril de 2017, 21:36

    INDIGNADO, CULTURA DEIXADA PARA SEGUNDO PLANO, UMA ATIVIDADE TÃO BELA É SIMPLESMENTE CORTADA, TOTALMENTE CONTRÁRIA AOS PAÍSES DESENVOLVIDOS QUE CONSERVAM E ENALTECEM AS TRADIÇÕES.