2 Comentários

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado

Por favor insira um comentário
Por favor informe seu nome
Informe uma url válida.

  • Anônimo 10 de junho de 2016, 14:35

    Sobre o estado da passarela, as queixas procedem. Quanto ao fato se ser – ou de parecer – uma armadilha, obviamente ( nesses dias as coisas óbvias deixaram de sê-lo, e a burrice ou a má-fé imperam ), a queixa deve ser dirigida a quem comanda a segurança, ou seja, à PM do governo estadual, mas aí não teria como concentrar o ataque politico a Prefeitura, em tempos de eleição, e só mencionam de forma neutra o “21º. Batalhão”.
    De qq modo, essa passarela, funcionando ou não sempre foi uma aberração, feita para segregar as pessoas em benefício dos veículos, que não podem ser retardados ou cerceados. Esse monte de viaduto e passagens proximo ao entroncamento com a Farah Maluf é uma monstruosidade, mas deixaram e celebraram que isso tivesse acontecido. Modernidade e progresso. Assim, andar um ou dois km para poder cruzar a avenida faz parte dessa lógica. A passarela devia ser discutida em sua existência, não em seu estado. Lamentar que a avenida tem 11km mas apenas uma passarela devia ter sido feito quando ela foi inaugurada, há uns 15 anos. Agora é tarde demais.

  • Anônimo 12 de junho de 2016, 01:30

    Essa passarela está completando 20 anos, me lembro quando ela foi colocada sobre a Anhaia Mello, e pouco tempo depois foi inaugurada pelo então prefeito Maluf, e seu candidato a sucessão; o finado Celso Pitta.

    Desde de a inauguração, a passarela nunca teve uma manutenção adequada, e é intransitável a noite por causa dos assaltos frequentes, mesmo durante o dia é meio perigo transitar por ali.

    E se não estou enganado, no mesmo dia o Maluf inaugurou aqueles dois viadutos da região, o da Anhaia Mello, e o da confluência da Anhaia Mello com a Salim Maluf.